//Veja como a alimentação transforma vidas na terceira idade.

Veja como a alimentação transforma vidas na terceira idade.

Atualmente a busca por uma vida saudável têm se tornado cada vez mais recorrente e isso pode trazer futuros benefícios para os indivíduos que optam por melhores hábitos de vida.

O envelhecimento pode trazer consigo alguns problemas de saúde, como a depressão e a ansiedade, desequilíbrios recorrentes e presentes em parte da população mundial e que podem ser evitados dependendo do tipo de alimentação e estilo de vida. A alimentação pode ser um aliado ou mais um gatilho para o agravamento dos sintomas, fato que foi avaliado por uma pesquisa publicada recentemente na revista Appetite. Nesse estudo os pesquisadores compararam dois tipos de padrão alimentar encontrados em uma amostra de 11.619 adultos com mais de 65 anos: um padrão menos saudável, que incluía uma dieta habitual com chocolates, doces, massas, embutidos, leite integral e pão branco e um padrão mais saudável que continha uma maior variedade de alimentos in natura ricos em fibras como frutas, legumes, oleaginosas e pão integral, bem como maior consumo de água (BEATE, 2017).

Foram realizados testes estatísticos entre resultados obtidos nos questionários de consumo alimentar e o nível de ansiedade e depressão. O comportamento alimentar foi avaliado através de questionários em relação à dieta ou padrões alimentares.

 Fonte: Adaptado de: Beate (2017); Michopoulos (2008); Foster (2013); Mckean et al. (2016); Dinan, Cryan (2017).

Assim, a alimentação e uma boa saúde mental estão diretamente associados e através da inclusão de alguns alimentos ricos em compostos ativos no nosso cardápio podemos aliviar alguns sintomas da depressão e ansiedade. Um exemplo disso é a cúrcuma, fonte de um polifenol que vem sendo estudado com frequência, a curcumina. Uma meta-análise publicada no periódico JAMDA mostrou associações entre a curcumina e melhora da depressão. Por exercer ações antioxidante, anti-inflamatória e neuroprotetora, a curcumina esteve associada com menores pontuações em questionário validado para o diagnóstico de depressão (Escala de Avaliação de Depressão de Hamilton – HAM-D) nos 377 indivíduos incluídos nos 6 ensaios clínicos relatados na meta-análise, que administraram extrato de cúrcuma padronizado em curcumina em associação ou não à piperina (composto bioativo da pimenta-do-reino). Em três desses estudos ainda foi possível observar o efeito anti-ansiedade (NG et al.,2017). Contudo, os autores ressaltam que os resultados possuem limitações, como o baixo número amostral e curto período de tratamento, não sendo possível avaliar os efeitos em longo prazo. Dessa forma, mais ensaios clínicos com maior tamanho amostral e de tempo de tratamento precisam ser conduzidos para confirmação destes efeitos.

Outros exemplos de alimentos associados com efeitos antidepressivos e ansiolíticos são as oleaginosas, ovos, aveia, folhas verdes, fornecendo nutrientes e compostos ativos importantes para a integridade e funcionamento do sistema nervoso central (SNC). Em adição, os prebióticos e probióticos vão contribuir para a manutenção da microbiota intestinal (MCKEAN et al., 2016; DINAN, CRYAN, 2017), que exerce um papel importante no funcionamento normal do cérebro e, assim, pode influenciar no risco de doenças como ansiedade e desordens de humor.

Dessa forma, ressalta-se a importância de hábitos de vida saudáveis em todas as fases da vida, associados a uma alimentação variada, rica em alimentos in natura e minimamente processados, pois irão fornecer diferentes compostos ativos que atuarão na modulação de várias vias importantes para o eixo central da Teia das Interconexões Metabólicas da Nutrição Funcional – a saúde mental e emocional –, sempre respeitando a individualidade bioquímica para que dessa forma possamos envelhecer de forma saudável.

Referências bibliográficas:

BEATE, A. et al. Is there an association between food patterns and life satisfaction among Norway’s inhabitants ages 65 years and older? Appetite;110:108-115, 2017.

NG, X.Q. et al. Clinical Use of Curcumin in Depression: A Meta-Analysis. J Am Med Dir Assoc; 1-6, 2017.

MCKEAN, J.; NAUG, H.; NIKBAKHT, E. et al. Probiotics and subclinical psychological symptoms in healthy participants: a systematic review and meta-analysis. J Altern Complement Med; 1-10, 2016.

DINAN, T.G.; CRYAN, J.F. The Microbiome-Gut-Brain axis in health and disease. Gastroenterol Clin North Am; 46(1):77-89,2017.

FOSTER, J.A; NEUFELD,K,A,M. Gut-brain axis: how the microbiome influences anxiety and depression. Trends Neurosci;36(5):305-12, 2013.

MICHOPOULOS, I. et al. Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS): validation in a Greek general hospital sample. Ann Gen Psychiatry;7:4, 2008.

Fonte: https://www.vponline.com.br

2018-06-02T12:30:00+00:00 maio 30th, 2018|Dicas Nutricionais|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário